Em Assembleia Extraordinária, associados aprovam novas eleições na COOPA

A Assembleia Geral Extraordinária da COOPA, realizada na noite desta teça-feira (18), reuniu mais de 700 associados na Arena do Cerrado.

Após muitos debates – que adentrou a noite -, foram aprovados: a chamada de capital, o novo estatuto e a convocação de novas eleições.

CHAMADA DE CAPITAL

Sobre a chamada de capital, o presidente da cooperativa, Renato Nunes, explica que foi deliberado que cada associado irá fazer um aporte de 8 mil reais, sendo que, aqueles tem movimentação de até 300mil poderá fazê-lo em até 8 vezes, e acima de 300 mil, em duas vezes.

“O mais importante é que esse dinheiro que o produtor vai colocar na COOPA vai para sua cota-capital, ou seja, no futuro ele retorna para o associado, pois ele está capitalizando a cooperativa. È diferente de pagar rateio”, destacou Renato.

Os cerca de 2.500 cooperados devem começar a pagar a cota após o registro do novo estatuto.

Para o ex-presidente e atual conselheiro fiscal da COOPA, Fausto Amaral, a chamada de capital não agradou os associados, que ‘saíram chateados com a decisão’. “Tirar dinheiro do bolso do associado que já está sacrificado pela sua produção difícil foi uma decisão muito dura”, ponderou Fausto.

O cooperado Elias Abraão Neto participou da assembleia e destacou o alto nível dos debates. “Todos entenderam que precisava de uma mudança. E hoje foi um marco para a cooperativa se reerguer”.

Elias aponta também que “é preciso que os devedores liquidem suas dividas com a Coopa; tenha uma renegociação com os bancos e que os associados deem credibilidade à nova diretoria para que a cooperativa possa ter essas três fontes de recursos para encher de novo as prateleiras”.

“Se tem uma empresa hoje que pode trazer resultados concretos é uma cooperativa, pois tem a menor taxa de impostos e assim sendo pode dar mais lucros”, avaliou Elias.

 

A cooperativa, que vive a pior crise de sua história, com um prejuízo calculado em cerca de 17 milhões, passa por um momento crítico com falta de capital de giro.

Renato Nunes atribui à crise política-econômica do país, a alta dos juros e às condições desfavoráveis das últimas safras, as causas do prejuízo da COOPA.

Já Fausto Amaral, aponta a má gestão e a tomada de grandes empréstimos para investimentos desfalcando o caixa da cooperativa.

ESTATUTO E NOVAS ELEIÇÕES

Também foi aprovado o novo estatuto da COOPA que prevê novas eleições – a serem convocadas 30 dias após o registro do novo estatuto.

“Em 40 ou 60 dias no máximo teremos novos gestores, nessa promessa de fazer diferente e utilizar desses recursos aplicados pelos nossos associados no sentido de dar nova envergadura a Coopa para podermos continuar prestando o melhor serviço aos nossos cooperados”.

Sobre a eleição, Fausto Amaral, que já foi presidente da COOPA, afirmou que poderá participar do pleito. “Sempre estou interessado no processo de decisões da COOPA. Se houver um grupo diferente, com uma proposta nova que olhe para o produtor individualmente, eu serei companheiro”.

Para Elias, a cooperativa deve trabalhar para haver uma chapa de consenso. “Na dificuldade não é hora de brigar”, disse.

Dentre as mudanças aprovadas no novo estatuto, Elias Abraão destaca a redução dos salários da diretoria e do número de conselheiros como um grande avanço para a COOPA.


COMPARTILHE NO:

COMENTÁRIOS